genealogia-brasileira

GENEALOGIA

Família Ramos Jubé

 Pesquisa Genealógica   Brasão de Armas   Links de Genealogias   Cidadania   Inclua sua Família  Comunidades  Contato

 

FAMÍLIA RAMOS JUBÉ

Ramos

O sobrenome JUBÉ aparece como pertencente a comunidade Hispanica. A Família Ramos Jubé aparece na região de Goias através do Ten. Cel. Jose Antonio Ramos Jubé a serviço do Rei de Portugal por volta de 1821.

Jose Antonio Ramos Jubé
Ten.Cel.
Urçula Pereira Valle
Maria Carolina da Conceição Antonio Pereira Ramos Jubé
Pe
-1896
Porto Imperial - Go
Maria Eufemia de Mello Joana Cordeiro de Sant'anna Francisca Ramos Jubé Manoel Joaquim de Mendonça
Benedicta Ramos Jubé Eufemia Marcelina Ramos Jubé Januaria Pereira Ramos Jubé
1850-1938
(c.1882)
Urçula Pereira Ramos Jubé Antonio Pereira Ramos Jubé Joaquim Rufino Ramos Jubé
1859-1933
Ouro Fino - Go
Maria Carlota d’Ascensão Silveira Ramos Jubé
Josefina Veiga Alcides Celso Ramos Jubé
1896-1961
Escritor
Antonio Diurivé Ramos Jubé Joaquim Rufino Ramos Jubé Júnior
1903-1951
Goias - Go
Politico
Maria Carlota Ramos Jubé Maria das Dores Ramos Jubé Jose Maria Ramos Jubé
1895-1950
Goias-Go
Aida Sócrates Botelho
Jose Tancredo Ramos Jubé Aloisio Ramos Jubé Joaquim Inacio Ramos Jubé Caius Emanoel Ramos Jubé Jairo Domingos Ramos Jubé

Antonio Pereira Ramos Jubé

O testamento-cerrado do padre Antonio Pereira Ramos Jubé para que o leitor possa observar a riqueza de detalhes nestes escritos: "Em nome da Santíssima Trindade, Padre, Filho, Espírito Santo, três pessoas distinctas e um só Deos verdadeiro.Eu Padre Antonio Pereira Ramos Jubé Vigário Collado na Parochia de Nossa Senhora do Pilar do Ourofino do Bispado de Goiáz natural da cidade do Porto Imperial da mesma Província de Goiáz estando em meu perfeito juizo, crendo, como verdadeiramente creio tudo que crê ensina e confessa nossa Santa Madre Igreja Catholica Romana, em cuja fé protesto viver e morrer, esperando da Divina Piedade o perdão dos meos pecados, e que me ha de salvar, obtorgo [sic] meo testamento e última vontade pela fórma seguinte: 1º Encommendo minha alma a Deos, que a criou e a envio com o seo precioso sangue. Declaro que quero que meo Corpo seja enterrado na Igreja Matriz do Ouro fino, e que meo enterro seja acompanhado pelo menos de um sacerdote, e meo corpo encommendado com Missa de Corpo prezente no 1º, 2º, 7º e 30º dias de minha morte, alem de outras que a devem celebrar durante o méz e mais uma Missa por alma de meos pais, e outra para as de todos os meos parentes.
Declaro que sou filho legitimo do Tenente Coronel José Antonio Ramos Jubé e D. Urçula Pereira Valle: Qué tenho seis filhos; sendo uma Eufemia Marcellina Ramos Jubé tida com Maria Eufemia de Mello; quatro que são: Januaria Pereira Ramos Jubé, Urçula Pereira Ramos Jubé, Antonio Pereira Ramos Jubé, e Joaquim Rufino Ramos Jubé, tidos com Joanna Cordeira de Sant’Anna, e uma Benedicta Pereira Ramos Jubé menor de três annos, havida com Maria Carolina da Conceição, que é natural da cidade da Uberaba (província de Minas). Declaro que mais nada devo ate esta data; e que da minha terça se faça o enterro e o remanecente seja applicado em suffragios a minha alma; e nomeio aos ditos seis filhos meos herdeiros, para que os herdem e gozem com a benção de Deos; para cumprirem este meo testamento nomeio para meos testamenteiros a Joaquim Ignacio da Silveira, Ayres Feliciano de Mendonça, meos genros e o meo filho Antonio Pereira Ramos Jubé, aos quaes dou todas as faculdades que como ataes concede o direito. E por este meo testamento escrevo e assinei lho outro qualquer que anterior tiver feito antes deste, que faço digo pois é o quero e é minha vontade que valha este, que faço na prezença das testemunhas que assignão no instrumento de approvação que adiante vai feito pelo official Publico. E por esta forma hei por findo este meo testamento de ultima vontade que assigno, cidade de Goiáz, 5 de Março de mil oitocentos e oitenta e cinco. Pe - Antonio Pereira Ramos Jubé. (...). Registrado no livro próprio a folhas quatorze à quinze. Goyaz, 22 de Outubro de 1896. O Escrivão por designação – Luiz Antonio Pereira de Abreu."
Os filhos não se ausentaram do convívio com o pai. Este esteve sempre presente em momentos importantes como, por exemplo, na celebração do batismo, de casamento. Na Matriz de N. S. do Pilar de Ouro fino, o pai realizou os batismos de Januaria Pereira Ramos Jubé, no dia 26 de março de 1850,14 de Ursula, no dia 15 de fevereiro de 1852, e de Joaquim, no dia 31 de outubro de 1855,  Eufemia, no dia 2 de fevereiro de 1881, e o de Benedicta, no dia 24 de janeiro de 1883, já outro filho, Antonio, foi batizado por Joaquim Vicente de Azevedo, no mês de outubro de 1856, sendo o celebrante padrinho juntamente com Ana Cordeiro de Sant’Ana. O padre (pai) ainda foi testemunha de casamento de um de seus filhos. os filhos de Antonio Pereira Ramos Jubé receberam os principais sacramentos cristãos pelas mãos do próprio pai ou de seus colegas.
Os registros de casamentos dos filhos Eufemia Marcellina Ramos Jubé, Januaria Pereira Ramos Jubé, Antonio Pereira Ramos Jubé, Joaquim Rufino Ramos Jubé comprovam o convívio entre pessoas da cidade de Goiás, de padres celebrantes e colegas.
Em 1871, realizou-se o casamento de Eufemia Marcellina Ramos Jubé, neste enlace observamos o relacionamento social e o cumprimento religioso da família do padre:
"Ao primeiro dia do mez de julho de 1871, na Matriz de N. S. do Pilar de Ouro fino, às 8 horas da manhã, em presença das testemunhas o capitão Antonio Augusto de Pádua Fleury e Dona Leonor Gertrudes Fialho dos Guimarães, ajuntou em casamento e deu as bênçãos nupciais ao Tenente Joaquim Ignácio da Silveira com dona Eufemia Marcellina Ramos Jubé. Filha natural de Dona Maria Eufemia de Mello; o noivo filho legítimo de José Ignácio da Silva e dona Joaquina Umbelino de [?]."
A filha Januaria Pereira Ramos Jubé foi batizada no dia 26 de março de 1850, pelo pai Antonio Pereira Ramos Jubé, o seu matrimônio foi celebrado na Igreja de N. S. do Pilar de Ouro fino, onde o pai era vigário colado, pelo padre José Iria Xavier Serradourada. Nesse enlace foram testemunhas o major João Baptista da Silva e Eufemia Marcellina da Silveira Ramos Jubé.
O padre José Iria Xavier Serradourada, celebrante do matrimônio, tinha conhecimento da paternidade da nubente, uma vez que era filha de seu colega vigário da Paróquia de Ouro fino. O registro de casamento evidencia que:
"Em 06 de agosto de 1882, na Igreja de nossa senhora do Pilar da paróquia de Ouro Fino, às 10:00 horas da manhã, o padre José Iria Xavier Serradourada, celebrou com Intra Missam o matrimônio de Ayres Feliciano de Mendonça, viúvo de Dona Maria Rufina Coelho de Mendonça, e natural desta capital de Goyaz, filho legítimo de Manoel Joaquim de Mendonça e de Francisca Ramos Jubé, já falecidos, residente nesta Paróquia, com Dona Januaria Pereira Ramos Jubé, filha natural de Dona Joanna Cordeiro de Sant’Anna, nascida e residente na freguesia de Sant’Anna da capital de Goyaz. Foram testemunhas o major João Baptista da Silva e Dona Eufemia Marcellina da Silveira Ramos Jubé. Dispensados do Impedimento de consangüinidade no segundo grau igual da linha transversal."
No registro de batismo de Urçula Pereira Ramos Jubé, filha de Joanna Cordeiro de Sant’Anna, o pai celebrou esse sacramento no dia 15 de fevereiro de 1852. Outro filho (Antonio Pereira Ramos Jubé), tendo o mesmo nome do padre também se casou na Igreja de N. S. do Pilar de Ouro fino, sendo a cerimônia celebrada com missa (intra missam) por José Iria Xavier Serradourada. Neste registro aparece o nome do pai como escrivão. "Aos dezoito dias do mez de agosto de mil oitocentos e oitenta e nove nesta parochia Igreja de N. S. do Pilar de Ouro fino com presença das testemunhas Tenente Joaquim Ignácio da Silveira e Dona Ângela da Veiga Jardim com licença competente o cônego José Iria Xavier Serradourada recebeo em casamento com palavras de presente na forma do ritual romano e deo benção intra missam a Antonio Pereira Ramos Jubé e Maria da Providencia Ramos Jubé, e para constar fiz este assento. O vigário collado – Antonio Pereira Ramos Jubé."
Já no matrimônio do filho de nome Joaquim Rufino Ramos Jubé, natural de Ouro fino de Goiás, o seu pai testemunhou o enlace juntamente com
o capitão Joaquim Martins Xavier Serradourada e o frei Raymundo Maria Madré. No registro desse enlace pode-se ler que:
"Em 15 de fevereiro de 1890, na Capela de N. S. do Carmo, às 5:00 horas, o padre Theodoro Linhares, celebrou o matrimônio de Joaquim Rufino Ramos Jubé, com 32 anos de idade, natural de Ouro Fino, filho natural de Dona Joanna Cordeira de Sant’Anna, com Dona Maria Carlota d’Assunção Silveira, 22 anos de idade, filha legítima do tenente Joaquim Ignacio da Silveira e de Dona Euphemia Marcellina da Silveira Ramos Jubé, nascida nesta cidade de Goyaz. Foram testemunhas o capitão Joaquim Martins Xavier Serradourada e o Reverendo Vigario Antonio Pereira Ramos Jubé, Frei Raymundo Maria Madré. Provisão do bispo diocesano de 12 do corrente mês. Foram dispensados de três proclamas e do impedimento de consangüinidade no 2º grão attingente ao 1º da linha collateral desigual."
No enlace, além de outro religioso o pai também foi testemunha de casamento do filho. Desse modo, é público o não-cumprimento das regras
católicas por esses eclesiásticos, os filhos frutos da transgressão à castidade (ou do pecado como assim disse Antonio Pereira Ramos Jubé em seu testamento) participam do seu convívio no Arrayal de Ouro Fino, município de Goiás. O curioso é que os nomes de suas mães não são mencionados, claro que, pelo menos, na pia batismal elas se fizeram presentes, nos enlaces é difícil aventar alguma possibilidade acerca da presença delas.
JOAQUIM RUFINO RAMOS JUBÉ,  Serventuário da Justiça, foi na vida Política e Parlamentar:
Deputado Estadual, 2ª Legislatura (1895-1897);
Deputado Estadual, 3ª Legislatura (1898-1900);
Deputado Estadual, 4ª Legislatura (1901-1904);
Senador Estadual, 5ª Legislatura (1905-1908), compôs a Mesa Diretora: 1ª Secretaria: 1905, 1907; Presidente do Estado em 27/04 á 05/ 1909
Senador Estadual, 6º Legislatura (1909-1912), Presidente do Senado: 1909-1912: assume a Presidência do Estado: 29/03/1912 á 05/1912
Senador Estadual, 7ª Legislatura (1913-1916) Presidente de Senado: (1913-1916); assume a Presidência do Estado: 01/1916 á 05/1916
Senador Estadual, 8ª Legislatura (1917/1920) Presidente do Senado: 1917-1920;
Senador Estadual, 9ª Legislatura (1921-1924); Presidente do Senado: 1921-1924. Presidente do Estado em 08/1921
Senador Estadual, 10ª Legislatura (1925-1928) Presidente do Senado: 1925/1928.
Senador Estadual, 11ª Legislatura (1929-1930) Presidente do Senado: 1929 e 1930.
Outras Informações:
Filiado ao Partido Republicano de Goiás, 1895, Filiado ao Partido Republicano Federal de Goiás, 1905
Comissão Executiva do Partido Democrata, 1914/30.
Secretário do Superior Tribunal de Justiça de 6 a 12/07/1898
O papa Pio X o distinguiu com o título de Comendador.
Candida Gomes de Oliveira Joaquim Antonio Ramos Jubé
Alferes
João Viana Jordina do Nascimento Viana
Benedito Antonio Ramos Jubé
(Tozinho)
Noé Victor Ramos Jubé
1912 - 1988
Ouro Fino - Go
Maria Madalena Viana Jubé
1934 - 1982
Goias - Go
Gabriel Sergio Messias Manoel Doema
Magda das Graças Ramos Jubé
1962-2006
Fátima Aparecida Ramos Jubé
1960-
Divina Maria Ramos Jubé
1954-
Ana Daria Ramos Jubé
1958-
Domingos Eloy Ramos Jubé
1952-
Jose Maria Ramos Jubé
1956 -
Helena Blein
1955-
Aldrian de Paiva Jubé
1985-
Rafael victor Blein Jubé
1990-

Antonio Benedito Ramos Jubé Maria Isabel da Veiga Jubé
Antonio Geraldo Ramos Jubé
1927-2010
Goias-Go
Goiania-Go
Custom Search

ÁRVORES GENEALÓGICAS

Pesquise sua árvore genealógica no índice abaixo. Se não tiver: clique e Inclua sua Família ou atualize seus dados. É gratuito! Você pode também  incluir um link para acesso à página de sua família.

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z