genealogia-brasileira

GENEALOGIA

Família Cunha

 Pesquisa Genealógica   Brasão de Armas   Links de Genealogias   Cidadania   Inclua sua Família  Comunidades  Contato

 

FAMÍLIA CUNHA

O primeiro a usar o nome de Cunha foi D.Paio Guterres da Cunha, Cavaleiro oriundo da Gasconha.Veio para o Condado Portucalense com seu Pai, D. Guterre, na companhia do Conde D. Henrique de Borgonha - pai do nosso primeiro Rei - a quem o Conde terá concedido Póvoa do Varzim, e outras terras em Guimarães, Braga e Barcelos.D. Paio Guterres participou na defesa da Fortaleza de Leiria contra os mouros, e esteve na tomada de Lisboa onde quebrou com cunhas de ferro a porta da cidade, por ali entrando o Rei D. Afonso Henriques. Este Cavaleiro teria tal tática por hábito: segundo Sanches de Baena , a tradição relaciona D. Paio Guterres com Cunha-a-Velha, no termo de Guimarães, o que atribuiria ao seu apelido natureza toponímica; mas acrescenta que, de acordo com Jerónimo de Aponte, "D. Payo ganhou Torres Novas e que foi o primeiro que se chamou "Cunha", porque durante os cercos colocava cunhas de ferro nas portas, para que os inimigos não pudessem sair; e por isso lhe deram por divisa nove cunhas azuis em campo de oiro" (cfr. Visconde Sanches de Baena, "Pombeiro da Beira".

cunha

Armas:
De ouro, nove cunhas de azul, postas três, três e três. Timbre: grifo sainte de ouro.
Os Cunha que tiveram o Senhorio de Tábua tiveram origem no primogénito de D. Paio Guterres da Cunha, Fernão Pais da Cunha, 1º senhor de Tábua, e entroncado-se com os Albergaria, usaram Armas que são uma combinação das Armas das duas Famílias.
A chefia desta família encontra-se na Casa dos Condes da Cunha.
Armas dos Cunha, Senhores de Tábua: escudo esquartelado, sendo os primeiro e quarto de ouro, nove cunhas de azul postas três, três e três, e os segundos e terceiro de prata, uma cruz florenciada e vazia de vermelho; bordadura de prata, carregada de nove escudetes de azul, cada qual carregado de cinco besantes do campo postos em aspa.
Wilson Neves da Cunha foi o décimo- primeiro prefeito de Colatina após a emancipação do município (31/10/1945 a 26/11/1945), e depois voltou após a saída de Geraldo de Paiva Monteiro, seu sucessor (24/03/1946 a 28/12/1947). No primeiro período de governo (dia 31 de outubro de 1945), que foi fundado o Tiro de Guerra.
Foi o primeiro prefeito do período após a Segunda Guerra Mundial, que continuou turbulento e muito triste, pois Colatina tinha perdido seu filho que estava a serviço das forças expedicionárias na Guerra, Abílio dos Santos; sofrendo com os outros filhos que tinham voltado traumatizados do combate, e também com as conseqüências da luta na Europa.
Organizou em 1946 no município o Partido Social Democrático (PSD) do governo de Getúlio Vargas, ao lado de Paulo Afonso Vieira de Rezende, Guilherme Pretti, Álvaro Costa, Henrique Coutinho, Moacyr Brottas, entre outros. Na oposição ao governo, Justiniano de Mello e Silva Netto e Raul Giuberti fundaram a União Democrática Nacional (UDN). Em 1946 foi eleito deputado estadual.
Wilson Cunha mandou elevar o leito das ruas com as terras retiradas do Morro das Cabritas, que ficava aos fundos do Hospital Sílvio Avidos e ia até ao rio Santa Maria e era uma pequena favela. Também foi presidente da Associação Rural.
Theodosia Vieira da Cunha Antonio Rodrigues da Cunha Jose dos Santos Neves Anna Correia Neves
Wantuil Rodrigues da Cunha Adélia Neves da Cunha
Eugenio Neves da Cunha Nilton Neves da Cunha Leta Neves Cunha Wilson Neves da Cunha
1913 -
São Mateus - Es
Alice de Carvalho Saraiva Ilda Cacilda Neves da Cunha Zelia Neves da Cunha Lauro Neves da Cunha
Iamary Rodrigues da Cunha
1961
Adélia Neves Cunha Mateus Antonio Rodrigues da Cunha
Custom Search

ÁRVORES GENEALÓGICAS

Pesquise sua árvore genealógica no índice abaixo. Se não tiver: clique e Inclua sua Família ou atualize seus dados. É gratuito! Você pode também  incluir um link para acesso à página de sua família.

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z